bannerfull

Chapada Diamantina: fogo toma proporções gigantescas e consome Parque Nacional

Focos de incêndio castigam Mucugezinho, Vale do Capão, Serra da Bacia e trechos na trilha Lençóis/Pai Inácio. Saiba mais!

14 de novembro - 2015 às 09h20
Chapada-Diamantina-fogo-toma-propores-gigantescas-e-consome-Parque-Nacional

Jornal da Chapada FOTO: Edmar Carvalho

O foco de incêndio que começou na quarta-feira (11) tomou proporções gigantescas nesta sexta (13) em área de difícil acesso na Chapada Diamantina. De acordo com técnicos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o fogo na região do Mucugezinho, começa em Campo de São João, distrito de Palmeiras, e segue até o Barro Branco, em Lençóis. Em contato com o Jornal da Chapada na noite desta sexta (13), o chefe interino do Parque Nacional da Chapada Diamantina (PNCD), Cézar Gonçalves, explica que há um foco regional que envolve esses dois municípios e alerta para que turistas evitem trafegar pela área.

“O que a gente não recomenda que as pessoas façam é percorrer a trilha Lençóis/Pai Inácio, que sai do Barro Branco, pois o fogo está bem nesta região, então é perigoso”. A trilha é muito utilizada por ciclistas, e a atitude é para evitar maiores problemas, já que o “fogo pode avançar por outros trechos”. Ainda conforme Gonçalves, há outro foco no Vale do Capão, distrito de Palmeiras, mas é um foco que já está há muito tempo e está controlado. “O fogo está localizado no Vale, mas não está se expandindo, já foi combatido diversas vezes, mas não tem como apagar ele, devido a localização geográfica dele”. O ICMBio ainda não consegue avaliar o estrago causado pelas queimadas. “Não temos noção da extensão, porque estamos muito concentrados em controlar, ainda não tomamos este tipo de medida”, completa.

A atuação dos brigadistas envolvidos nos combates na Chapada Diamantina está concentrada na região do Rio Mucugezinho, onde a Polícia Rodoviária Federal (PRF) chegou a interditar trecho da BR-242, na quinta-feira (12), for falta de visibilidade, reabrindo após intenso combate durante a noite. “Estamos atuando principalmente, neste momento, na região que fica entre o Mucugezinho e a Serra da Bacia, que é próximo ao Campo de São João, no município de Palmeiras. A ideia é evitar que o fogo avance em direção ao sul, em direção ao Morrão e ao Balneário de Águas Claras, porque além de ser uma área de fluxo turístico intenso, esta é uma região que a vegetação é muito propensa à propagação do fogo”, diz o chefe interino do Parque, Cézar Gonçalves, ao Jornal da Chapada.
 


Combate ao fogo

Os brigadistas estão tendo todo o apoio logístico dos governos estadual e federal, com equipamentos e aeronaves, inclusive nesta sexta, outro helicóptero foi enviado para ampliar o combate. Segundo Cézar, o único equipamento que poderia ter em maior número é a lanterna de cabeça, que os combatentes necessitam para atuação à noite. “Quanto aos insumos, nós temos praticamente tudo, o Governo do Estado tem dado apoio helicóptero e aviões que jogam água. Os bombeiros fizeram o apoio na medida do possível, do que está ao alcance deles. Temos tido o apoio necessário, é que a situação é realmente muito dramática, o fogo se alastrou muito rápido. A única deficiência, que a gente tem, se alguém quiser ajudar a gente é com lanterna de cabeça para os brigadistas que combatem à noite”.

Também atuam no combate ao grande incêndio na Chapada Diamantina, o corpo de bombeiros de Feira de Santana, Vitória da Conquista e Salvador, a brigada federal Prevfogo Rosely Nunes, as brigadas municipais Bicho do Mato, ACVIB e Radical Chapada, Combatentes de Incêndios Florestais de Andaraí (Cifa), além das brigadas voluntárias Barra de Estiva e Fazenda Igarashi.
 

Comentários

netools comunicação digital
Sertão Baiano - Todos os direitos reservados © - 2019