bannerfull

Ex-prefeito de Nova Redenção terá que devolver mais de R$ 2,3 milhões

Ao longo da carreira, gestor cometeu coletânea de irregularidades, entre contratação irregular, propaganda autopromocional, gastos excessivos sem comprovação e etc.

12 de agosto - 2014 às 17h21
Ex-prefeito-de-Nova-Redeno-ter-que-devolver-mais-de-R-23-milhes

ASCOM TCM

O ex-prefeito do município de Nova Redenção, Ivan Alves Soares, teve rejeitada a prestação de contas de sua administração relativa ao ano de 2012 e, além de pagar multa de R$ 20 mil, terá que devolver aos cofres municipais R$ 2.362.183,46. Ele será denunciado ao Ministério Público Estadual para que seja apurada suspeita de que cometeu crime de improbidade administrativa. As contas do ex-prefeito foram julgadas na sessão desta terça-feira (12) pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). O TCM já havia rejeitado as contas do ex-prefeito relativas ao ano de 2011, o que lhe rendeu multa também de R$ 20 mil e a determinação de ressarcir o erário em R$ 79.082,68. Apesar disto, as irregularidades praticadas à frente da Prefeitura de Nova Redenção se multiplicaram. Ivan Soares retirou das contas bancárias municipais, sem comprovação de despesa, R$ 288.892,96, e alega gastos – sem apresentação das notas fiscais devidas – num total de R$ 801.757,04.

O ex-prefeito não cumpriu os limites constitucionais de gastos com a Saúde e Educação e, além de atrasar o pagamento dos professores durante cinco meses, retirou da conta do FUNDEB um total R$ 114.794,01 sem apresentar qualquer documento de despesa. Entre as inúmeras irregularidades praticadas também contratou servidores públicos sem concurso, não recolheu o ISS e o imposto de renda devido de prestadores de serviço e pagou com recursos públicos propaganda autopromocional. Por incrível que pareça, ainda cabe recurso da decisão.

 

Comentários

netools comunicação digital
Sertão Baiano - Todos os direitos reservados © - 2020