bannerfull

Furto de cabos deixa BR-324 às escuras

Gerente diz que vandalismo é proposital para facilitar assaltos e o tráfico de drogas.

11 de abril - 2016 às 08h45
Furto-de-cabos-deixa-BR-324-s-escuras

Yuri Pastori / A Tarde

O furto de cabos de energia no trecho urbano entre Salvador e Simões Filho, nos seis quilômetros iniciais dos 22 quilômetros da via, tem provocado apagões e prejudicado a visibilidade dos motoristas na BR-324, que liga Salvador a Feira de Santana, além de causar inúmeros prejuízos. Segundo o gerente de tecnologia da informação da Viabahia, Claudio Rissardi, os criminosos quebram o concreto e retiram os cabos com picaretas. Com isso, há um curto-circuito e, como consequência, o apagão de um trecho iluminado. A retirada de cinco metros de cabos deixa um trecho de até 200 metros às escuras. "O que percebemos é que trata-se de um vandalismo proposital, para que a área não fique iluminada e facilite os assaltos e o tráfico de drogas. Com isso, temos um gasto excessivo para realizar os reparos", explicou. O relatório com os dados gerais, desde o início da implantação do trecho Simões Filho-Salvador há dois anos, estima um prejuízo em torno de R$ 600 mil.

Apenas em 2016, esse número fica na faixa de R$ 80 mil. Somente no mês de março deste ano, mais de 320 metros de cabos elétricos foram retirados do canteiro central da rodovia, deixando diversos postes às escuras. O trecho de 22 quilômetros entre Salvador e Simões Filho tem 550 postes e 1.100 lâmpadas. No local de maior ocorrência, os seis quilômetros iniciais da via, na saída da capital, há 125 postes e 250 lâmpadas.

Segurança

Há diversos pontos da rodovia que são monitorados pelo circuito fechado de TV, porém, estes equipamentos são utilizados, segundo a Viabahia, prioritariamente para monitorar o tráfego e não com finalidade de segurança pública, apesar de a empresa fazer parcerias com as forças policiais (polícias Rodoviária Federal, Militar e Civil). A Polícia Rodoviária Federal (PRF) é a responsável pela segurança nas rodovias federais. Neste caso, a BR-324 está inserida. O órgão informou que realiza patrulhamento de rotina e, quando identifica algo ou alguma atuação suspeita, é feita abordagem. Segundo a assessoria da Viabahia, a empresa sempre que detecta o furto de cabos comunica à PRF e realiza Boletim de Ocorrência na Polícia Civil.

Em 2015, a Coelba registrou 348 ocorrências de furtos de cabos da rede elétrica e/ou transformadores no estado. Foram 36 km de cabos e 47 transformadores. O que representa um prejuízo de R$ 277 mil. Já em 2016, considerando apenas Salvador, Lauro de Freitas e Camaçari, foram 14 ocorrências de furtos de cabos ou transformadores; furto de 0,29 km de cabos e um transformador - um prejuízo de R$ 4,7 mil. Diversos são os contratempos gerados pela falta de iluminação. Um deles é a insegurança dos motoristas, pois, com a escuridão, os criminosos podem colocar objetos na pista, com o objetivo de forçar a parada dos veículos e assim cometer os delitos. Além disso, há o assalto a pedestres, que, com a falta de iluminação, ficam mais vulneráveis, e há também o  comércio ilegal da mercadoria furtada.

Uma nova iluminação foi implantada no trecho de 22 quilômetros entre Salvador e Simões Filho. Além disso, outros 27 pontos de iluminação (nove na BR-324 e 18 na BR-116) estão em fase final de implantação, totalizando mais 28 quilômetros e 400 metros e visam ampliar a segurança. O furto de cabos e transformadores é crime estabelecido no artigo 155 do Código Penal, com pena prevista de dois a oito anos de prisão. A Coelba informou que registra boletim de ocorrência na polícia sempre que ocorre um furto.

Galeria de fotos

Comentários

netools comunicação digital
Sertão Baiano - Todos os direitos reservados © - 2019