bannerfull

Homem acusa vizinho de atirar em cachorro com espingarda em Central

O caso de maus tratos foi parar na Delegacia. Confira todos os detalhes!

05 de julho - 2017 às 08h45
Homem-acusa-vizinho-de-atirar-em-cachorro-com-espingarda-em-Central

Bocão News II Shizue Miyazono | Fotos: Arquivo pessoal

Um homem acusa o vizinho de atirar contra o cachorro da sua mãe no povoado de Tanque Novo, no município de Central, na Região  de Irecê - sertão baiano. De acordo com o denunciante, que procurou a reportagem do BNews, o suspeito é um vaqueiro que já teria matado diversos cachorros e gatos da região e os acusa de estarem atacando as suas ovelhas. Segundo Ilário Francisco da Silva, o vizinho teria atirado com uma arma de chumbinho e cegado o cachorro de sua mãe há poucos dias. O homem ainda acusa o vaqueiro de já ter matado dois animais da sua genitora.  O denunciante relata, ainda, que o homem teria atirado também contra o cão de um amigo dele. Ilário acusa o vaqueiro de já ter matado “mais de 50 cachorros e 20 gatos dos vizinhos” em quatro anos. De acordo com o homem, o vaqueiro anda com uma espingarda e mata os animais que encontra pela frente. “As pessoas têm medo dele porque faz ameaças para não denunciá-lo”, explicou. 

O denunciante contou que procurou a delegacia de Central para registrar um Boletim de Ocorrência, mas foi feita apenas uma ata do caso. Após perceber que não receberia o boletim, Ilário teria pedido para falar com o delegado, mas não conseguiu. Ele procurou, então, a Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin) de Irecê, que entrou em contato com a de Central, e o homem foi intimado a comparecer à delegacia de sua cidade.

Em contato com a delegacia, o delegado titular de Central e substituto de Itaguaçu da Bahia, Heloísio Lacerda, afirmou ao BNews que Hilário procurou a delegacia, mas negou que não tenha feito o Boletim de Ocorrência. De acordo com o delegado, o BO foi registrado (194/2017) como maus tratos a animais no dia 28. Lacerda informou que não pôde ouvir o denunciante no dia em que o registro foi feito, pois estava saindo para uma diligência, mas intimou o homem a comparecer à delegacia no dia 30, para prestar depoimento, o que não aconteceu.

O delegado salientou, ainda, que o animal não pertence a Ilário e que, apesar de o homem alegar que o vizinho estava matando vários animais na localidade, não existe outra ocorrência de maus tratos contra o vaqueiro na delegacia de Central. Lacerda informou que está investigando o caso, mas não pode dar continuidade se o denunciante não comparecer à delegacia para ser ouvido e está aguardando o depoimento de Ilário.

 

Comentários

netools comunicação digital
Sertão Baiano - Todos os direitos reservados © - 2017