bannerfull

Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz ecoam música afro-baiana

Projeto será exibido neste Domingo (22), no canal do TCA no YouTube. Laroiê, Bará! Axé!

20 de novembro - 2020 às 11h32
Letieres-Leite-Orkestra-Rumpilezz-ecoam-msica-afro-baiana

ASCOM TCA

No Mês da Consciência Negra, o Teatro Castro Alves (TCA) traz ao Domingo no TCA um dos mais ilustres nomes da representação da música afro-baiana: Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz. O projeto exibe no canal de YouTube do TCA, no dia 29 de novembro, às 11h, o registro em vídeo de um concerto realizado na Filadélfia, no Temple University Performing Arts Center (TPAC), em agosto de 2015, em que o público estadunidense presenciou, pela primeira vez, a poderosa magia musical do conjunto. A big band instrumental de percussão e sopro, com seus 20 integrantes, juntou-se ao pianista e compositor de jazz afro-cubano Arturo O’Farrill e ao trompetista, compositor e aventureiro musical Steven Bernstein em uma noite inesquecível com uma plateia em êxtase. O vídeo ficará no ar até 20 de dezembro.

Nesta primeira turnê pelos Estados Unidos, a Orkestra Rumpilezz também se apresentou em Nova Iorque, Miami, San Francisco e San Jose, levando suas raízes rítmicas afro-baianas traduzidas na harmonização do jazz. Criada em 2006 pelo instrumentista e compositor Letieres Leite, a Rumpilezz foi consagrada como o maior vencedor da edição 2017 do Prêmio da Música Brasileira, com Melhor Grupo Instrumental, Melhor Álbum Instrumental e Melhor Arranjador para Letieres Leite. O grupo é também vencedor de outas premiações, a exemplo do Prêmio Bravo! como Melhor Álbum Popular e da edição 2010 do Prêmio da Música Brasileira em duas categorias, Revelação e Melhor Grupo Instrumental.  
 

>>>Se ligue no canal do TCA 


Suas composições, concebidas a partir das claves e desenhos rítmicos do chamado Universo Percussivo Baiano (UPB) – termologia observada e desenvolvida pelo maestro Letieres –, têm entre as referências histórico-musicais as agremiações percussivas como Ilê Aiyê e Olodum, os sambas do Recôncavo e o culto sagrado do Candomblé. Em sua estrutura, a Orkestra conta com cinco músicos de percussão, que passeiam por instrumentos como surdo, timbau, caixa, agogô, pandeiro e caxixi, e 15 músicos de sopro, compondo os quatro naipes de trompete, trombone, saxes (alto, soprano e tenor) e flautas e baixos (tuba, sax barítono e trombone baixo).

O vídeo exibido no Domingo no TCA é uma produção da PhillyCAM: Public Access Television Cablecast da Filadélfia. O show é uma parceria da Philadelphia Jazz Project, WRTI Radio e GingaP Culture Business. Agradecimentos especiais a Philadelphia Jazz Project, WRTI, PhillyCAM, AfroTaino, Taller Puertorriqueño, Intercultural Journeys, Jesse Bermudez, Another Holiday For Skins, Scribe Video Center, Afro Latin Jazz Alliance, Temple Performing Arts Center (TPAC) e Painted Bride Art Center. 
 


Domingo no TCA 

O Domingo no TCA é uma iniciativa do Teatro Castro Alves, Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) e Secretaria de Cultura do Estado (Secult), que se compromete em ampliar e diversificar o seu público frequentador, oferecendo-lhe acesso a espetáculos qualificados, das mais diversas linguagens artísticas. Desde 2007, com mais de 150 edições e cerca de 200 mil espectadores, o projeto engloba apresentações de música, teatro, dança, circo, cinema, de variados estilos e proposições estéticas, da Bahia, do Brasil e do mundo.

Comentários

netools comunicação digital
Sertão Baiano - Todos os direitos reservados © - 2020