bannerfull

Mais de 37 mil candidatos fazem provas de concurso da Polícia Civil

Próximas etapas compreendem a realização de exames biomédicos, teste de aptidão física, psicotécnico, prova de títulos e investigação social.

23 de abril - 2018 às 12h43
Mais-de-37-mil-candidatos-fazem-provas-de-concurso-da-Polcia-Civil

Fonte: Ascom/Secretaria da Administração do Estado (Saeb)

Buscar a concretização de um sonho. Com esse objetivo, Carlos André Sampaio, 30, ao disputou, nas dependências da Faculdade 2 de Julho, no bairro do Garcia, em Salvador, umas das vagas ao cargo de Investigador. Ele foi um dos candidatos que realizaram as provas objetivas e discursivas do concurso público da Polícia Civil no domingo (22). “Já é a terceira vez que tento passar em um concurso público, sempre na área de segurança pública. Desta vez, vou aproveitar essa oportunidade e garantir minha estabilidade financeira”. Exatamente 48.120 se inscreveram Compareceram aos 48 locais de prova em Salvador 37.676 candidatos, contabilizando 10.444 ausentes. Este número representa um percentual de 21,78% de abstenções. Eles concorreram a uma das mil vagas oferecidas, sendo 880 para Investigador, 82 para Delegado e 38 para Escrivães. 

O maior número foi para o cargo de Investigador, com 35.036 candidatos, seguido dos cargos de delegado, com 10.658, e de escrivão, com 2.426 postulantes ao cargo. Promovido pela Secretaria da Administração do Estado (Saeb) e pela Polícia Civil, o certame é organizado pela Fundação para o Vestibular da Universidade Júlio de Mesquita Filho (Fundação Vunep). Moradora do bairro da Mata Escura, na capital baiana, a candidata Cíntia Ramos, 26, também almeja uma vaga para Investigadora. Pela primeira vez ela tenta uma oportunidade na área de segurança pública no Estado. “Acredito que entrar na Polícia Civil é uma chance de ingressar com convicção no mercado de trabalho, já que na área privada as oportunidades ainda estão muito escassas”.

Em companhia da equipe de Recursos Humanos da Saeb, que estava presente ao local de prova, na Faculdade 2 de Julho, o diretor de RH, Robson Carvalho, destacou o empenho do Governo do Estado em promover concursos. “Através de uma gestão efetiva das finanças e um maior controle na qualidade do gasto público, o Estado vem atendendo às demandas da sociedade com um planejamento mais preciso no provimento de servidores públicos”. Em 2017, houve concursos para a Polícia Militar (duas mil vagas) e Bombeiro Militar (750 vagas). Além disso, em 2018, o Governo realizou concurso na área de Educação, com 3.096 vagas para professores e 664 para coordenadores pedagógicos. Estão previstos ainda novos certames para os cargos de Auditor Fiscal; e para Médicos e Odontólogos da PM. 

Provas

A primeira etapa do certame foi composta por provas objetivas, com questões de conhecimentos gerais e de conhecimentos específicos, totalizando 100 questões – regras válidas para os três cargos. Já a segunda etapa, inteiramente discursiva, teve avaliações diferentes para cada função. Candidatos ao cargo de delegado desenvolveram estudos de caso e peça processual. Já os inscritos para as funções de investigador e escrivão responderam a questões dissertativas. As próximas etapas do concurso, previstas em edital, compreendem a realização de exames biomédicos, teste de aptidão física, exame psicotécnico, prova de títulos e investigação social. Os aprovados no certame, quando nomeados, terão remuneração inicial para os delegados de polícia, regime de trabalho de 40 horas semanais, no valor de R$ 11.389,96. Já os investigadores e escrivães de polícia terão remuneração inicial de R$ 3.915,85, no regime de 40 horas semanais. 

Comentários

netools comunicação digital
Sertão Baiano - Todos os direitos reservados © - 2018