bannerfull

Comunidade Rock de Irecê faz entrega de alimentos à instituição beneficente

Doações - que vão ajudar à Comunidade Maanaim - foram arrecadadas no Dia Mundial do Rock. Compartilhe essa história! Saiba como ajudar!

24 de julho - 2017 às 09h21

Daniel Pinto

Feijão, açúcar, arroz, café, farinha, óleo, macarrão e farinha de milho. Esses foram alguns dos alimentos entregues, no último sábado (22), pela Comunidade Rock de Irecê à Comunidade Terapêutica Gente Livre Maanaim, instituição beneficente com sede no Povoado de Meia Hora, em Irecê, que acolhe e trata dependentes químicos. Os alimentos foram arrecadados durante uma campanha solidária no dia 15 de julho, quando foi comemorado na cidade o Dia Mundial do Rock. Há 24 anos a Comunidade Maanaim cuida gratuitamente de pessoas com a doença crônica da dependência química, considerada um transtorno mental e um problema social pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Os alimentos foram recebidos pela presidente da Comunidade Terapêutica Gente Livre, Fátima Rocha, contadora com especialização em Terceiro Setor, que contou um pouco sobre a história da instituição, mostrou as instalações ao grupo e descreveu o processo de acolhimento dos dependentes químicos. A Maanaim atua com internamento voluntário e o tratamento dura nove meses. “Eles são acolhidos após passar por uma avaliação psiquiátrica e depois são inseridos nas atividades de nossa comunidade. Temos uma equipe multidisciplinar com nutricionista, educador físico, assistente social. Apesar de termos capacidade para 50 pessoas, atualmente apenas 20 homens estão aqui conosco”, revelou Fátima Rocha, que atribui a pequena ocupação à dificuldade financeira.

Além da manutenção dos atuais residentes, a comunidade precisa de apoio para construir uma ala específica para mulheres (que hoje são totalmente desassistidas na Região de Irecê) e implantar cursos profissionalizantes que garantam a inserção dos indivíduos no mercado de trabalho e no seio familiar. “Assim como acontece com o Movimento Rock, a maior barreira contra o tratamento da dependência química é o preconceito. Espero que esse gesto incentive a sociedade a olhar pra essa galera de outra forma”, avaliou Jhonny Edihone, proprietário do Jhonny Rock Bar, que levou toda a família para fazer a entrega dos donativos.

Sem apoio governamental, a Maanaim sobrevive de doações, seja de alimentos, auxílio financeiro ou trabalho voluntário. Para conhecer mais sobre a instituição basta ligar para (74) 9.9999-6655 ou (74) 9.9968-2870 e falar com Fátima. Ligue e saiba como ajudar! Não deixe o preconceito te impedir de fazer a coisa certa! 

Comentários

netools comunicação digital
Sertão Baiano - Todos os direitos reservados © - 2017