bannerfull

Targino Gondim concorre a Grammy Latino

Cantor e Sanfoneiro disputa categoria Melhor Álbum de Música de Raízes com o disco Targino sem Limites. Assista ao show!

29 de setembro - 2020 às 17h21
Targino-Gondim-concorre-a-Grammy-Latino

Divulgação

Mais uma vez Targino Gondim figura entre os concorrentes do Grammy Latino. 19 anos depois de vencer o Oscar da Música com a canção Esperando na Janela, que também ganhou a voz de Gilberto Gil e deu ao artista espaço no longa brasileiro, “Eu, Tu, Eles”, em 2020 é a vez do artista concorrer pelo Melhor Álbum de Música de Raízes com Targino Sem Limites. A indicação saiu nesta terça feira, dia 29 de setembro por meio do site oficial da premiação, que divulgou a lista dos 53 indicados. No álbum, cinco canções com nomes da música nacional, Ivete Sangalo, Zeca Baleiro, Saulo, Bell Marques e Carlinhos Brown. O EP está em todas as plataformas digitais. “Para um artista uma indicação como esta é uma realização, agora é torcer”, disse o artista entusiasmado. 

Com Saulo o sanfoneiro gravou Simplesmente Assim. Composta por Targino Gondim e Otoniel Gondim (seu irmão) esta é uma canção de amor. Culpa do meu coração é o título da música gravada com Ivete Sangalo. Já com Bell Marques o naturalizado juazeirense apresenta As Mangas do Nosso Amor, composta por Targino e Carlinhos Brown. Lá Fora Tá Chovendo é a canção gravada por Targino Gondim com participação de Zeca Baleiro. A canção foi composta por Targino, Zeca e Carlinho Brown. Depois de várias canções juntos gravadas por diversos nomes da MPB, Targino e Carlinhos Brown cantam juntos Até Ficar Neném.

Um dos nomes de maior destaque da música nordestina, Targino Gondim é classificado pelo sanfoneiro como World Music. “Neste projeto, mostro meu gosto musical, meu relacionamento e parcerias com amigos queridos de estilos musicais. Mostrou a força da nossa música, da nossa sanfona, da nossa gente”, completa.  As músicas ganharam clipes que podem ser vistos no youtube targinogondimoficial.
 


Dono de uma voz melódica e um jeito doce de tocar  poderia ser mais um nome no forró, mas fez diferente. Mesmo com a chancela de grandes nomes do ritmo, a exemplo de Gilberto Gil, Fagner, Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Alceu Valença e Dominguinhos, o artista não se limitou apenas a fazer show. Empreendedor tem tocado eventos como Festival Internacional da Sanfona (Juazeiro-BA), que já é o maior evento de acordeon da América Latina, Festival de Forró da Chapada (Mucugê-BA), Conecta Chapada (Andaraí-BA), e Festival de Forró de Itacaré (Itacaré-BA).

Comemorando mais de 20 anos de carreira, desde 2018 toca o projeto Targino sem Limites. “Ainda vou gravar com outros nomes da música brasileira e lançar um novo EP”, revela o artista que em 2009 apresentou o projeto Canções de Luiz, trabalho que lhe rendeu o prêmio de Melhor Cantor no 21º Prêmio da Música Brasileira 2010 (antigo Prêmio Tim de Música) e em 2015, Canções Divinas incluindo música de sua autoria em homenagem ao Papa: "O Papa Francisco", recebendo uma carta de agradecimento do Pontífice.

Comentários

netools comunicação digital
Sertão Baiano - Todos os direitos reservados © - 2020