bannerfull

MPF investiga danos ambientais em deslocamento da Plataforma P-27

Em razão de decisão judicial, a plataforma da Petrobras será deslocada da bacia de Campos (RJ) para o canteiro de São Roque, situado na Baía de Todos os Santos.

02 de abril - 2014 às 08h09
MPF-investiga-danos-ambientais-em-deslocamento-da-Plataforma-P-27

Foto: Agência Brasil

O Ministério Público Federal (MPF) em Teixeira de Freitas, sul do Estado, instaurou inquérito civil público para apurar eventual ocorrência de dano ambiental decorrente de provável deslocamento da plataforma P-37 do campo de Voador, da bacia de Campos (RJ) para o canteiro de São Roque, localizado na foz do rio Paraguaçu, na Bahia de Todos os Santos. O inquérito foi instaurado pelo procurador da República Ruy Nestor Bastos Mello, em razão de uma decisão da 16ª Vara Federal do Rio de Janeiro, que deferiu pedido liminar autorizando o deslocamento da referida plataforma, passando pela região de Abrolhos, no sul da Bahia, local de atuação da Procuradoria da República em Teixeira de Freitas.

As informações técnicas colhidas sobre a viabilidade do transporte da plataforma apontam que há risco de dispersão dos corais sol encrustados na P-27 durante a travessia e no local de destino. O coral sol é uma espécie de “bioinvasor”, que poderá por em risco a biodiversidade marinha do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos. Para apuração dos fatos, o MPF expediu ofício à Petrobras solicitando, no prazo de 48 horas, informações sobre rota do deslocamento, previsão de início da atividade, possibilidade de realização da rota em mar aberto, além de esclarecimentos sobre os corais sol encrustados na plataforma e quais medidas irá tomar para evitar sua dispersão no Parque Nacional.

Comentários

netools comunicação digital
Sertão Baiano - Todos os direitos reservados © - 2019