bannerfull

Seminário resgata identidades e destaca importância de políticas públicas para quilombolas

Evento do projeto Pró-Semiárido foi realizado em Jacobina com cerca de 150 representantes de 15 comunidades. #TamoJuntoNessaLuta

03 de dezembro - 2021 às 12h27
Seminrio-resgata-identidades-e-destaca-importncia-de-polticas-pblicas-para-quilombolas

Assessoria de Comunicação SDR/CAR

Quilombo: Ancestralidade, Território e Identidades. Este foi o tema do seminário que reuniu, na última terça-feira (30), no município de Jacobina, cerca de 150 representantes de 15 comunidades quilombolas, dos municípios de Jacobina, Caém, Capim Grosso, Saúde e Mirangaba, localizadas nos Territórios de Identidade Piemonte da Diamantina e Bacia do Jacuípe. O evento, realizado no âmbito do projeto Pró-Semiárido, teve o objetivo de fomentar uma grande rede que possa se irmanar em torno da conquista e acesso a políticas públicas para essas comunidades. 

“A gente precisa organizar uma grande rede quilombola. Precisamos das pessoas que estão aqui representadas: Colegiado Territorial de Desenvolvimento Sustentável (Codeter); Centro Público de Economia Solidária (Cesol), com toda a economia solidária e o potencial que tem nos quilombos de artesanato, de produção de biscoitos, cocadas, doces, polpas, temperos; das prefeituras municipais; e da Central das Organizações de Desenvolvimento Sustentável do Território do Piemonte da Diamantina (Codep), porque são órgãos que vão ficar quando o projeto sair. Este encontro é para vocês, todo o povo quilombola que está aqui representado”, explicitou a coordenadora local do Pró-Semiárido, Rejane Borges. “O que mais marcou foi a união dos quilombos. Tivemos várias entidades presentes, de outros municípios e todos no mesmo objetivo e na mesma gratidão pelo projeto. O evento é um complemento da oportunidade que o Pró-Semiárido nos deu”, destacou o presidente da Associação Quilombola Barrocão Velho de Jacobina, Ademailton Lima. 

A assessora de Gênero, Raça e Etnia do Pró-Semiárido, Elizabeth Siqueira, ressaltou a importância de as comunidades se fortalecerem para lutar por objetivos em comum, sobretudo porque o Pró-Semiárido está encerrando suas atividades. Ela destacou ainda, a relevância do espaço da Ciranda das Crianças, no evento, como ação afirmativa de gênero, que garante que as mães participem de eventos e formações. “Como se trabalha com mulheres se não inclui os filhos e filhas, é muito difícil e inviabiliza a presença da mulher num encontro como este”. O Seminário Quilombola representou a culminância dos encontros realizados em 14 comunidades quilombolas, nos meses de outubro e novembro deste ano. As atividades foram facilitadas pela equipe do projeto Pra Preto Ler, Barbara Borges e Francinai Gomes. 

>>>Assista Documentário Relacionado: Juventude Quilombola e a Cultura Negra no Território de Irecê 

Entrega de Certificados 

A programação do Seminário contou ainda com um momento de esclarecimentos sobre o Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais (CEFIR) para Povos e Comunidades Tradicionais. O momento foi facilitado pelo técnico do Pró-Semiárido, Jacson Machado, que realizou a entrega simbólica dos certificados de comunidades quilombolas assessoradas pelo projeto e que já tiveram seu território devidamente demarcado. O documento além de coibir a ameaça da grilagem verde, assegura às famílias o acesso a políticas públicas como crédito rural.

O Seminário contou com a presença de lideranças quilombolas, como Dona Dalva, que fez a abertura do evento com Oração Yourubá; da parteira da comunidade Barrocão Velho, dona Aurelina; do articulador da Rede Quilombola Chapada Norte e representante de outros movimentos, Junior de Todos; do prefeito municipal de Jacobina, Thiago Dias; do presidente da Codep, Markus Breuss e do Agente de Desenvolvimento Territorial, representante do Codeter do Território de Identidade Piemonte da Diamantina, Richard Silva. O Pró-Semiárido é um projeto executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e cofinanciado pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA). 

Comentários

netools comunicação digital
Sertão Baiano - Todos os direitos reservados © - 2022