bannerfull

Campanha de vacinação contra febre aftosa vai até 31 de maio

Em João Dourado procure a Secretaria de Agricultura, na Praça São José, ou ligue no escritório da Adab no 3668-1333.

18 de maio - 2016 às 09h09
Campanha-de-vacinao-contra-febre-aftosa-vai-at-31-de-maio

ASCOM João Dourado / Brasil Escola

A Bahia segue na luta contra a febre aftosa, em busca de um estado livre da doença. Os criadores baianos têm até o dia 31 de maio para vacinar todos os bovinos e bubalinos contra a doença, independente da faixa etária. Em João Dourado procure a Secretaria de Agricultura, na Praça São José, para maiores informações, ou ligue no escritório da Adab no 3668-1333.

Saiba mais sobre a doença

A febre aftosa é uma doença infecciosa causada por vírus. Ela atinge animais de cascos bipartidos, como bovinos, bubalinos, ovinos, caprinos e suínos. É uma doença altamente contagiosa que possui sete soros imunologicamente distintos, são eles: A, O, C, SAT1, SAT2, SAT3 e Asia 1, sendo que no Brasil encontramos apenas os tipos A, O e C. O vírus da febre aftosa é altamente contagioso e pode ser transmitido através da baba do animal, que contém grande quantidade de vírus. O sangue dos animais infectados também contém grande quantidade de vírus durante a fase inicial da doença. O vírus dessa doença é muito resistente, podendo resistir por meses na medula óssea do animal (mesmo depois de morto), no pasto, na farinha de ossos e no couro.

Os primeiros sintomas apresentados pelo animal são febre alta e perda do apetite, seguidos de aftas na boca, na gengiva ou na língua, e principalmente por feridas nos cascos ou nos úberes. O animal baba muito, contaminando todo o ambiente e tem grande dificuldade para se alimentar e para se locomover, em razão das feridas nos cascos. A produção de leite, o crescimento e a engorda ficam prejudicados. A intensidade da doença é variável, mas sabe-se que ela atinge mais animais jovens, principalmente os que estão em aleitamento. O tratamento dessa doença é feito com a total desinfecção do local, fervura ou pasteurização do leite destinado ao consumo humano ou de outros animais, tratamento com medicação nas feridas dos animais e tratamento com tônicos cardíacos em animais com muita fraqueza.

No Brasil, a prevenção dessa doença é feita por meio de vacina obrigatória aplicada de 6 em 6 meses, a partir do terceiro mês de vida do animal. A vacinação é obrigatória a todos os criadores de animais, de forma que as recomendações do fabricante com relação à dosagem, prazo de validade, modos de conservação, entre outros, sejam obedecidas.

Comentários

netools comunicação digital
Sertão Baiano - Todos os direitos reservados © - 2017