bannerfull

CUIDADO: Pix vira isca para golpes

Criminosos usam cadastro de chaves e WhatsApp clonado para enganar vítimas; saiba como se prevenir!

13 de janeiro - 2021 às 12h33
CUIDADO-Pix-vira-isca-para-golpes

Redação TecnoBlog

Por Ana Marques 

O Pix, sistema de pagamentos que entrou em operação plena no mês de novembro, traz uma grande revolução à forma como realizamos transações bancárias no país. Operando 24 horas por dia, 7 dias por semana, o método caiu nas graças de muita gente por proporcionar maior facilidade e rapidez na hora de enviar dinheiro, mas também está na mira criminosos que aplicam golpes de phishing. De acordo com uma reportagem do G1, uma das vítimas perdeu R$ 4,5 mil após o contato de uma pessoa que se fez passar por um funcionário do setor de segurança da Caixa Econômica Federal. O telefonema chegou enquanto a mulher fazia o cadastro de sua chave no Pix.

A dona de casa, de 44 anos, relatou que o golpista passou orientações sobre o que ela deveria fazer para desbloquear o aplicativo e concluir o cadastro das chaves, alegando que ele estaria com problemas para realizar as operações remotamente. No entanto, o direcionamento resultaria numa transferência de todo o dinheiro da conta da vítima para uma conta virtual, utilizada pelo criminoso. A mulher só percebeu que se tratava de um golpe quando chegou uma notificação no app do banco confirmando a transação.
 



WhatsApp clonado pode ser intermediário para golpes 

Outros relatos de golpes que circularam na mídia nacional durante as últimas semanas indicam que os cibercriminosos também têm usado o velho esquema do WhatsApp clonado para aplicar phishing utilizando o Pix. Uma jovem de 22 anos foi enganada por uma pessoa que clonou o mensageiro de sua tia. Ao se fazer passar por familiar, o golpista conseguiu que a menina transferisse R$ 1,4 mil via Pix. “Você não se atenta, por causa da velocidade que tem essa transferência”, comentou outra vítima de um caso semelhante ao programa Fala Brasil. “Perdi mais de R$ 6 mil em uma questão de 15 minutos”. Diferentemente de TED e DOC, que são processos geralmente mais demorados, as operações com Pix levam cerca de 10 segundos para serem concluídas, o que acaba dificultando o trabalho da polícia para impedir transações suspeitas.

Como evitar golpes que usam o Pix como isca 

O uso de recursos digitais para enganar vítimas e conseguir informações pessoais não é nenhuma novidade. O WhatsApp, mensageiro mais popular no país atualmente, é um dos grandes alvos desse tipo de ação. Assim como o Pix, outros métodos de pagamento, como boletos bancários e cartão de crédito, também já foram utilizados por cibercriminosos para roubar dinheiro das vítimas. As dicas para evitar esse tipo de golpe são as mesmas nesse caso: desconfie de mensagens que peçam dinheiro pelo WhatsApp ou por telefone, mesmo que sejam enviadas por números conhecidos, como os de amigos e familiares. Evite enviar informações sensíveis, como dados pessoais ou bancários, pelo mensageiro, evite clicar em links sem saber sua real procedência e ative a verificação em duas etapas. Caso você ainda não tenha feito o cadastro das suas chaves no Pix, não há o que temer: basta seguir nossas dicas para realizar esse processo com segurança em bancos e aplicativos.

Comentários

netools comunicação digital
Sertão Baiano - Todos os direitos reservados © - 2021