bannerfull

Itabuna decretará estado de emergência para combate ao Aedes aegypti

Ministério da Saúde investiga se incidência de dengue e zika possui relação com o surto de microcefalia. Saiba mais!

04 de dezembro - 2015 às 10h05
Itabuna-decretar-estado-de-emergncia-para-combate-ao-Aedes-aegypti

Com informações I Bahia / Foto: Reprodução

O município de Itabuna, no sul do estado, deverá decretara nessa sexta-feira (4) situação de emergência para o combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungunya e do zika vírus. Segundo dados da Secretaria de Saúde do estado da Bahia (Sesab), o município figura entre os dez do estado com maior número de incidência de dengue (2168 casos por 100 mil habitantes) e zika vírus (2515), que está sendo investigado pelo Ministério da Saúde se possui relação com o surto de microcefalia– anomalia que afeta desenvolvimento do cérebro de bebês durante a gestação. Segundo o titular da Secretaria de Saúde do município, secretário Paulo Sergio Bicalho, o decreto facilitará a solicitação de recursos junto ao governo do estado e ao Ministério da Saúde para combate ao mosquito. “O estado de emergência nos possibilitará buscar fundos de maneira mais simplificada para intensificar o combate ao mosquito e dar suporte para outras medidas que já estamos tomando”, explicou o secretário.

De acordo com Bicalho, o município está montando um espaço para atender pacientes que possuam algum sintoma de dengue, zika ou chikungunya. O ambiente também será o responsável por diagnosticar possíveis casos de microcefalia. “O nosso objetivo com a criação desse espaço específico de enfretamento ao aedes (aegypti) é desafogar o atendimento em outras unidades de saúde do município. Nesse espaço nós teremos equipes voltadas especificamente para esses diagnósticos”, esclareceu. Um faxinaço também será promovido pela pasta em locais onde possuem focos do mosquito. Em Itabuna, ainda segundo o secretário, 4 casos de microcefalia foram confirmados pela secretaria de saúde do município, sendo 2 de gestantes da própria cidade, 1 de Camamu e 1 de Buerarema. Em todo o estado, segundo a Sesab, são 13 casos confirmados desde o último dia 12 de novembro.

Leia matéria relacionada: Neuropediatra diz que casos de microcefalia indicam uma nova doença


Outros Municípios

Além de Itabuna, também intensificaram o combate ao aedes aegypti as cidades de Feira de Santana e Camaçari. De acordo com boletim da Sesab, Feira de Santana é o primeiro entre os dez municípios baianos com o maior número de incidência de chikungunya (663,24). Já Camaçari é apontado pelo relatório como o segundo município com a maior incidência de zika (2622). De acordo com Fátima Guirra, diretora técnica da Vigilância em Saúde de Camaçari, o município tem se organizado através de frentes de trabalho para combater o mosquito da dengue e diagnosticar possíveis casos de gestações nas quais os bebês podem desenvolver microcefalia em decorrência do zika vírus.

“Nós estamos intensificando os trabalhos nas maternidades do município, intensificando o acompanhamento das gravidas que tiveram a doença (zika) durante a gestação. Também estamos trabalhando com uma frente que visa ampliar o trabalho de combate ao mosquito, que é uma das nossas principais preocupações, através de faxinas em locais onde podem existir focos do mosquito”, explicou. Já a titular da Secretaria de Saúde de Feira de Santana, secretária Denise Mascarenhas, informou que a pasta tem intensificado o acompanhamento das gestantes com que tiveram zika vírus durante a gravidez e que o combate ao mosquito também foi intensificado no município. A secretária informou que um boletim técnico sobre os casos de microcefalia no município deverá ser divulgado na terça-feira (8). Em toda a Bahia, Segundo o Ministério da Saúde, foram registradas 37 notificações de suspeita de microcefalia até o dia 28 de novembro.

Comentários

netools comunicação digital
Sertão Baiano - Todos os direitos reservados © - 2019