bannerfull

Posse de imóvel rural possibilita assentamento para 400 famílias baianas

Foco é promover reforma agrária e estender o acesso das famílias rurais a política agrária no país, aponta gestor do Incra.

07 de março - 2016 às 09h05
Posse-de-imvel-rural-possibilita-assentamento-para-400-famlias-baianas

Assessoria de Comunicação Social do Incra

Ato de imissão na posse possibilita assentar 400 famílias de trabalhadores rurais na Bahia. A cerimônia que oficializa a entrega do imóvel rural aos agricultores aconteceu, na última sexta-feira (4), na Fazenda Renata, no município de Itapicuru, localizado a 220 km de Salvador. Com atuação da Superintendência Regional do Incra em Sergipe, a área tem 9,8 mil hectares de extensão e foi uma conquista emblemática para o Instituto, cujo histórico começou com a abertura do processo de desapropriação em 2007. O Superintendente Regional do Incra/BA, Gugé Fernandes, esteve presente no evento e aponta que essa área representa o resultado de esforços da equipe da Superintendência sergipana.

“O foco é promover a reforma agrária e estender o acesso das famílias de trabalhadores rurais a política agrária no país”, destaca Fernandes.  Já o Superintendente do Incra em Sergipe, André Bonfim, destaca que o ato premia o esforço do órgão e oferece uma nova perspectiva econômica para a região e para a vida de centenas de famílias. O imóvel rural já possui o protocolo de solicitação de licença ambiental junto ao órgão responsável do Governo do Estado da Bahia, o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema).

Potencialidades

Por possuir influência do manancial subterrâneo da Bacia do Tucano, o futuro assentamento poderá fazer uso da irrigação para o cultivo de melancia, melão, tomate, cebola, banana e caju, abastecendo os mercados da Bahia e Sergipe.

CadÚnico

Segundo o Chefe da Divisão de Obtenção da Superintendência de Sergipe, Paulo Emmanuel Macedo, as famílias a serem assentadas já estão inscritas no CadÚnico pela Prefeitura Municipal onde o assentamento estará inserido. Desse modo, os trabalhadores poderão integrar o Programa Brasil Sem Miséria, do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS).

Comentários

netools comunicação digital
Sertão Baiano - Todos os direitos reservados © - 2019