bannerfull

Região de Irecê: Beto Lelis, Zé das Virgens e Hermenilson podem gastar até R$ 8 milhões em campanha

Ex-petista de Lapão tem previsão de gastos mais modesta entre principais candidatos na proporcional; petista de Irecê estima investir até R$ 2 milhões, apesar de ter declarado apenas R$ 51,75 em Conta Corrente.

10 de julho - 2014 às 14h27
Regio-de-Irec-Beto-Lelis-Z-das-Virgens-e-Hermenilson-podem-gastar-at-R-8-milhes-em-campanha

Criação: Beavis / Sertão Baiano

Daniel Pinto

O ex-prefeito de Irecê e Ibipeba, Adalberto Lelis Filho (PMDB), o popular Beto Lelis, pode fazer a campanha proporcional mais cara entre os principais candidatos da Região de Irecê. De acordo com informações apresentadas à Justiça Eleitoral, para o pleito deste ano, o limite de gastos de Beto Lelis é de R$ 4 milhões. O registro de candidatura à Câmara Federal ainda aguarda julgamento. Mas, segundo dados disponíveis no sistema Divulgacand 2014, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o peemedebista é natural de Gentio do Ouro, possui o Ensino Médio incompleto e tem como ocupação principal a função de Técnico em Edificações. O total de bens declarados por Beto Lelis é avaliado em R$ 728 mil. O patrimônio é composto, sobretudo, por imóveis rurais espalhados por quatro cidades diferentes, sendo que o mais caro é a Fazenda Paulino, em Ibipeba, no valor de R$ 250 mil.

O também ex-prefeito de Irecê José Carlos Dourado das Virgens (PT), conhecido por todos como Zé das Virgens, pode investir até R$ 2 milhões na tentativa de conseguir uma cadeira na Assembleia Legislativa da Bahia. Zé das Virgens - que representa a coligação “Pra Bahia Avançar Mais” - é Técnico em Agronomia e Agrimensura, natural de São Gabriel e possui Ensino Médio completo. De acordo com declaração de bens apresentada pelo próprio candidato à Justiça Eleitoral, seu patrimônio é avaliado em R$ 1.033.520,00, o que inclui casas em Irecê, São Gabriel e Salvador, imóveis rurais, ovinos e bovinos, além de três carros (Gol, Veraneio, Fox). O item mais caro é o apartamento na capital baiana, no valor de R$ 500 mil.

Completando o “catálogo” de ex-prefeitos do território, aparece Hermenilson Ferreira Carvalho, que já chefiou o Poder Executivo de Lapão e agora é candidato a deputado estadual. Hermenilson é economista, filiado ao PCdoB e tem como teto de gastos na campanha R$ 2 milhões. Entre os ex-prefeitos, tem a declaração de bens mais “modesta”: possui R$ 439.518,50 em imóveis urbanos e rurais, dois automóveis (Fiesta 2002 e Polo 2007) e aplicações no Banco do Brasil.

Campos opostos, apesar do mesmo DNA

Os candidatos que se seguem possuem a mesma origem política, mas atualmente militam em campos opostos: Valdenor Militão Vilela Dourado, ou simplesmente Militão, foi uma das principais referências do PT de Lapão durante muitos anos, o que o credenciou a disputar até mesmo a Prefeitura em (pelo menos) duas oportunidades. Entretanto, desiludido com o partido da estrela vermelha, encontrou “conforto espiritual” no PRB, que este ano marcha ao lado de Paulo Souto (DEM).

Militão nasceu em Lapão, é Administrador com nível superior completo e busca assento na Assembleia Legislativa pela coligação “Unidos Para uma Bahia Melhor”. De acordo com informações do Divulgacand 2014, pretende gastar na campanha até R$ 1,5 milhão, menor valor entre principais candidatos da Região de Irecê. Entre os bens declarados, casa, lotes, imóveis comerciais e um automóvel, totalizando R$ 141.000,00.

Mario Augusto de Almeida Neto (PT) - companheiro Jacó, para os amigos - talvez seja o menos conhecido de todos. Mas, se credencia pela relação estreita com representantes do Governo Wagner e figurões do PT. Apesar de ser apresentado como coordenador do Centro de Assessoria do Assuruá (CAA), Jacó não possui ocupação definida, segundo o sistema de dados do TSE. É natural de Jacobina, completou o Ensino Médio e aguarda julgamento para ser candidato a deputado estadual pela coligação “Pra Bahia Avançar Mais”. O fato inusitado é que o companheiro estipulou R$ 2 milhões como limite de gastos, mas possui apenas R$ 51,75 de saldo em conta corrente no Banco do Brasil.

O total de bens declarados por Jacó supera a cifra dos R$ 156 mil, com destaque para uma casa no Bairro do Fórum, em Irecê, e um carro importado (Toyota Corolla - modelo 2014).


* Fotos: Acervo Cultura & Realidade e Irecê Repórter

Comentários

netools comunicação digital
Sertão Baiano - Todos os direitos reservados © - 2020